salto ornamental

Alice Sant'Anna 2

 

os poucos segundos diante da câmera

não fariam jus aos anos (uma vida

inteira) de ensaios e dores musculares

e alimentação regrada e tantas outras privações

os poucos segundos mostram

a atleta no trampolim

ela se prepara para o salto

ornamental que quem sabe

vai lhe render uma medalha

uma vaga nas olimpíadas

a consideração de alguém tanta coisa

o treinador apreensivo finge

tranquilidade no telão

vai dar certo já fizemos isso infinitas vezes

ela se prepara para o mergulho

pensa que o melhor é não pensar

em nada transmitir coragem e autoconfiança

os fotógrafos bastante entediados

sem conseguir entender o que dá

a certos atletas um décimo a mais um a menos

no fim das contas é só um pulo na piscina

a não ser que erre feio

que caia de costas ou de barriga

que uma perna vá pro lado

que um braço não fique junto ao corpo

a não ser que o mergulho seja bruto

e suba muita água a não ser que seja

algo menos que perfeito

o passo de dança ensaiado em cada milímetro

que começa com um sorriso e termina

com a piscina recebendo a atleta sem alarde

sem ondas na água quase

como se nada tivesse acontecido

a atleta se prepara é dada a largada

na hora do salto sabe-se lá

o que se passa na cabeça

enquanto finge não passar nada

em sua concentração budista e sua serenidade

de plástico ela corre com destreza no trampolim

e mergulha na água de cabeça

sem o mortal as três piruetas a manobra prevista

que treinou a vida toda e lhe valeria

uma medalha ou anunciantes ou um aumento

sobretudo a admiração de alguém ela esquece

não teve vontade

deu um branco vai entender

mergulhou de cabeça na água

assim como se estivesse de férias

no telão a expressão incrédula do treinador

o zero gordo dos jurados

os fotógrafos finalmente entretidos

 

http://globoesporte.globo.com/saltos-ornamentais/noticia/2015/07/mundial-australiana-de-19-anos-perde-podio-com-nota-0-no-trampolim-de-1m.html